Acampamento Opus Solis

A Adoração de Nuit

“Oh, Luz da Vida em esplêndido arrebatamento de prazer/Que enche as minhas veias de vida em majestade de poder.” -Meral, 1982

Como se adora a Rainha do Espaço? Liber AL vel Legis dá muitas pistas, mas pode levar uma vida antes de algumas de suas palavras ganharem vida como experiência real.

Certamente, deve-se começar com amor. Isso pode ser mais do que o amor de uma pessoa por outra (embora esse tipo de amor possa ser uma lição em si mesmo, mesmo que não dure muito). O amor cobre outras áreas da vida, e pode significar amor pelo trabalho ou criatividade, amor pela família e pelas crianças, amor pela natureza, e assim por diante.

Mas há um outro amor que transcende todos os amores que podemos conhecer enquanto usamos um corpo terreno. Todo amor, de qualquer tipo, é um treinamento para experimentar esse amor transcendente. Belas palavras foram escritas para nos dar uma ideia disso. Devemos mergulhar em clássicos como Liber LXV ou Liber VII para começar a entender o amor por Nuit, e de Nuit por um humano.

Há um passo intermediário nesse Caminho do Amor. É o Conhecimento e a Conversação com o Santo Anjo da Guarda. Os estudantes de Qabalah representam esse passo na Árvore da Vida pela esfera central, Tiphereth. Nessa etapa há duas entidades, o aspirante e o Anjo. Só acima do Abismo é que as duas se tornam uma; mas tal iluminação pode não durar muito, pois é um estado além da força humana. O aspirante é logo lançado de volta à esfera que representa a obra da vida.

As primeiras agitações da voz Angélica podem chegar até nós por intuição. Se uma pessoa não está aberta a confiar nessa intuição profunda, pode não ser evidente que o SAG possa falar por meio da mesma voz. É inteiramente possível virar as costas a tais sussurros e inspirações, especialmente quando as preocupações são na sua maioria materialistas, emocionais ou intelectuais; mas as lições do SAG persistem. Se alguém fica chateado, infeliz ou miserável devido a algum comportamento, certamente é o SAG aplicando “amor duro” para que se realizem mudanças.

Tudo isso eu observei em mim mesma e ao tentar entender os outros. Ele fornece o preâmbulo enquanto tento escrever sobre minhas próprias experiências com o SAG.

Era 1 de julho de 1952, quando meu primeiro contato com o SAG ocorreu. Eu estava criando meus três filhos sozinha. Uma vez que eles estavam na escola, eu também estava na faculdade, treinando para ser professora de arte. Eu também tinha digitado manuscritos de Crowley para Karl Germer, para que eles não se perdessem.

Fui despertada por uma luz na minha coluna. Pude compreender vagamente que me tinham sido dadas instruções durante algum tempo antes do meu despertar. O que pude recordar disso foi o nome do SAG e Suas instruções para enumerar este nome com a ajuda do alfabeto hebraico. A compreensão desse nome levou alguns anos; mas a voz nunca realmente me deixou depois desse incidente. Houve muitas ocasiões em que tive a ajuda da voz quando ela era obviamente necessária. Continua-se a viver uma vida normal, trabalhando e fazendo todas as coisas para se sustentar e manter seus filhos. A voz do SAG não é necessária em todas circunstâncias do dia a dia. Mas é preciso continuar a refinar a si próprio e as suas reações. É preciso estudar e aprender sobre processos mágicos e místicos. “O Deus não residirá em um veículo mal preparado”, como diz o conselho máximo. Quando grandes lições ou provações eram necessárias, elas eram fornecidas a fim de continuar este crescimento e refinamento.

Antes desse primeiro despertar, eu havia escrito poesias inspiradas por vários tipos de amor que me envolviam na direção maior de minha alma. Karl Germer pensava que o Conhecimento e a Conversação com o SAG acontecia no meu caso porque eu tinha uma aspiração pura.

O acontecimento da noite, que descrevi muito claramente acima, deixou-me com tal admiração que mal podia falar dele sem um tremor interior. Passaram-se seis meses até que eu pudesse escrever sobre isso ao Karl. Mas ele sabia, pela característica das minhas cartas, que esse evento certamente deveria ter acontecido. Ele, portanto, declarou que eu estava no grau de 5=6 da A∴A∴.

A poesia continuou, pois não há muito a dizer sobre tal experiência em linguagem comum. Além disso, muitos contatos importantes foram-me confirmados em vários momentos. O mais memorável deles foi quando eu me lembrei da minha última morte. Foi como uma visão, em que eu estava desperta e consciente. Eu estava em grande sofrimento naquela vida anterior, e estava deitada na cama no que deve ter sido um sótão (eu podia ver o telhado inclinado e as vigas acima de mim). Minha roupa de cama estava bastante suja, pois não havia ninguém para cuidar de mim durante essa doença. Nem sei o que causou a dor, só que era insuportável. Então o SAG apareceu ao meu lado. Eu deixei o corpo e a dor, e soube quão intenso e puro era o amor do Anjo. Tal intensidade nunca é experimentada na vida, e não há palavras para descrevê-la. Só se pode saber que o amor é a chave para tal despertar, e que estamos aqui na Terra para aprender sobre esse amor.

Quando os humanos amam nessa vida mundana, muitas expectativas são colocadas nela. Uma pessoa pode querer segurança, ou um parceiro que aumente a importância dela, ou alguém para manipular, com o intuito de mostrar seu próprio poder. O amor humano é geralmente condicional: Talvez seja um desejo por filhos, ou por companheirismo que não se desvanece. Talvez uma pessoa tenha medo de ficar sozinha, e requer que alguém esteja sempre à mão para dar apoio em bons e maus momentos. Pode até haver um desejo de conflito e de situações desastrosas, permitindo estranhas crueldades e abusos; mas aqui não temos amor, mas sadismo sexual. Os seres humanos misturam os impulsos biológicos do sexo com o que erroneamente supõem ser amor. Liber Legis I:41 é muito inflexível em relação a esse erro, pois nenhum envolvimento deve ser experimentado a menos que haja amor: “Não há laço que possa unir o dividido senão amor: tudo além é uma maldição. Amaldiçoado! Amaldiçoado seja isto pelos æons! Inferno”.

O amor é uma intoxicação do espírito, uma expressão de espiritualidade transcendente. O sexo está relacionado com os instintos animais inferiores (corporais). Toda pessoa deve aprender a distinguir entre eles. Também, para as pessoas incapazes de amar; questões sexuais geralmente predominam. Isso pode levar ao abuso de mulheres e à pornografia. Forças inconscientes ganham maior poder quando reprimidas por muito tempo. Idealmente, o sexo deve ser uma expressão de amor entre dois adultos, assumindo os aspectos mais elevados da espiritualidade. A Missa Gnóstica Católica é uma instrução muito boa quanto aos procedimentos a serem seguidos.

Liber Legis ensina sobre amor em cada capítulo. Seria bom que o aspirante estudasse esse Livro muito de perto. Memorizá-lo é ainda melhor. Não se pode experimentar os estados superiores de consciência sem o poder do amor. O amor do SAG é incondicional, e é tão intenso que poderia facilmente queimar em uma alma não desenvolvida. Isso não acontece porque o SAG está atento à fraqueza do seu cliente e aplicará um remédio que levará a um fortalecimento do aspirante.

Aprender como amar, o que significa para a própria essência como uma estrela, é a maior lição para os humanos de hoje. Quando o amor tiver sido purificado – quando se aprende a amar sem condições, e com fervor, pureza e intensidade – então se está preparado para amar Nuit como somos exortados a fazer na Liber Legis.

Sinto que não há necessidade de escrever mais neste espaço, pois muitos dos meus poemas e outros escritos têm sido inspirados pelo SAG. Eu, como uma pequena humana, não assumo o crédito por tudo o que escrevi, disse ou fiz. Eu simplesmente tentei seguir as instruções o melhor que pude. Sim, quando se tem essa orientação sublime, deve-se obedecer – e se faz isso a partir dos mais puros estados de amor.

Used by permission of Temple of the Silver Star.

All writings of Phyllis Seckler are ©Temple of the Silver Star. All Rights Reserved.

Autora: Soror Meral

Tradução: Frater Tahuti

Revisão: Frater אל-אמא-יה e Frater Tupã

Translate »